CANUDO DE PAPEL

Opinião

Caro leitor, será possível a situação repulsiva que vemos hoje no país?

O diploma hoje em dia se tornou uma exigência no mercado de trabalho; a experiência uma obrigação.

Imaginem a situação: o sujeito acaba de se formar, se tem pouca idade, exigem dele anos de trabalho. Já no caso de não ser tão criança assim, devido às circunstâncias da vida, se forma mais tarde... recebe então uma resposta clara e objetiva do empregador:

_ Você já passou dos 25, não está no perfil de nosso quadro...

Passamos a infância na escola ( o pré, o primário, o 1 e 2 grau e se você, por acaso, conseguir chegar ao curso superior, que hoje em dia é uma empresa (não acessível a todos) já pode se somar aí, mais ou menos 15 anos de vida dedicados ao estudo...

Quando criança arquitetamos sonhos, questionamos sobre nossa futura profissão; parte de nossa vida é dedicada à busca de realizações.

Atualmente tais projetos, não passam de aspirações, ilusões, ou melhor dizendo, desilusões...

Não pretendo fazer apologia ao não estudo, muito menos desestimular uma das poucas oportunidades de se adquirir uma boa formação pessoal.

A educação é a base de tudo, o diploma seja técnico ou universitário é um projeto de vida e uma realização pessoal.

A questão é: o diploma atualmente não passa de um adorno, um símbolo para colocar na moldura e enfeite de parede? Qual o seu valor?

Nos guetos, judeus formados em medicina, direito, ou qualquer outra profissão queimavam o certificado, quando já não tinham mais esperança de sair dos campos de concentração, (devido à inutilidade).

No "gueto, mercado de trabalho", o que vemos hoje, são engenheiros desempregados, jornalistas, dentistas, médicos e profissionais da saúde esmolando emprego, se desdobrando em vários serviços para tirar um salário condizente com a profissão pelo qual escolheram ( que cubra pelo menos parte do investimento dos seus estudos).

Advogados, engenheiros, jornalistas e professores partem para o caminho da informalidade...

Todo trabalho é digno, porém é frustrante pensar no tanto que se gastou durante a escola.

Vemos anúncios nos jornais, "Procura-se traballho". Que trabalho?

Com tanto desemprego só nos resta, com diploma ou sem diploma, nutrir esperanças.

Quem sabe na velhice, olhar pro passado e pensar que foi útil nosso esforço, de ter conquistado as duras penas, o Canudo de Papel...

Janaína Noronha